Água: Importante componente da Nutrição Animal

A água se revela como o principal constituinte do corpo animal. É ela quem determina as condições de velhice dele, pois quanto menor for seu conteúdo, maior a idade do animal. Suas funções desempenhadas são: solvente, transporte, regulação da temperatura corporal, servindo também como um meio onde se realizam múltiplas reações químicas.

A sua restrição pode causar: redução na produtividade e na ingestão de alimentos, desidratação, ocasionando uma perda de peso, pequeno aumento na digestibilidade de ruminantes (gado) e aumento na excreção de sódio e potássio.

O excesso de ingestão de água não é prejudicial, pois não existem provas científicas que comprovem o contrário em condições normais, embora normalmente os animais a consumam de acordo com a disponibilidade e o quanto desejarem.

As fontes desse líquido são encontradas na própria bebida ou contidas em alimentos como forragens verdes, silagens (alimento verde, suculento, conservado por meio de um processo de fermentação), alimentos secos como o feno e nas plantas mais jovens.

De acordo com a espécie e o tipo de exploração, as necessidades de água variam:

  • Bovino de corte – 26 a 66 litros/dia;
  • Vacas leiteiras – 38 a 110 litros/dia;
  • Vacas em lactação – até 140 litros/dia;
  • Cavalos – 30 a 45 litros/dia;
  • Égua em lactação – até 57 litros/dia;
  • Caprinos e ovinos – 3,5 a 15 litros/dia.

Deve-se administrar a qualidade da água, analisando-a para que não esteja contaminada e para que seja insípida, inodora e incolor, além de estar armazenada em recipientes adequados.

Suplementação Mineral

A utilização estratégica de suplementos minerais propicia uma melhora na produtividade. Os minerais significam 1% do que o animal consome ao longo dia, fornecimento adequado que gera diferenças nos índices produtivos.

No caso de bovinos que consomem pastagens, silagens, feno, capins, cana-de-açúcar e outros, as necessidades fisiológicas de consumo de diversos minerais não são supridas. Um importante suplemento mineral, que desempenha um papel nas atividades metabólicas do animal, é o fósforo. Ele e outros minerais, em níveis baixos ou altos, são de suma importância para os processos de ingestão e de saúde do rebanho.

Ao misturar esses complementos, dá se o nome de sal mineral. Essa denominação se deve à antiga prática de fornecer sal branco aos animais. Esses, por terem um apetite natural pelo sal comum, o cloreto de sódio, se alimentavam do mesmo ao serem condicionados para rodeios e outras atividades. Portanto, através desse método, convencionou-se administrar quantidades delimitadas de minerais, juntamente ao sal, auxiliando na boa nutrição, principalmente com a adição de cálcio e fósforo presentes nas farinhas de ossos, de ostra e etc. Elementos como macro e micro minerais, vitaminas, proteínas e fontes de energia foram adicionadas posteriormente.

O suplemento alimentar é indispensável como um complemento na dieta dos animais, proporcionando elementos nutricionais para o equilíbrio fisiológico de suas funções, como: sobrevivência, crescimento, ganho de peso e reprodução.

Para um correto fornecimento, uma absorção adequada e um consumo diário equilibrado, vale salientar que uma formulação específica dos minerais influencia nesses fatores. Essa fórmula é elaborada com o intuito de fornecer níveis nutricionais que supram as necessidades dos animais.

Com a existência de uma variedade ímpar de marcas fornecedoras dessas misturas, o importante é sempre procurar os melhores, que estabeleçam um padrão registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Uma análise laboratorial é capaz de medir uma quantidade específica, como:

Recomenda-se fornecer uma ingestão mínima de 3 a 4 gramas de fósforo. Quando a pastagem oferece um teor muito baixo desse elemento, vale garantir um fornecimento maior: 8 a 10 gramas. No caso de outros minerais, o interessante é que a mistura forneça, pelo menos, 50% das necessidades diárias. Quando a região de criação se encontra em uma carência elevada de um ou mais elementos suplementares, torna-se viável o fornecimento de 100% das necessidades diárias.